10 fotografias icônicas da Segunda Guerra Mundial


Feliz é o homem que pode olhar para as guerras à distância. Distância no tempo, distância no espaço. Nesse contexto, talvez tenhamos o espírito tomado pelas lágrimas, porque não somos indiferentes à dor alheia, mas nem de longe podemos vislumbrar todo o horror, o sofrimento, a humilhação dos que viveram e dos que ainda vivem a tragédia da guerra.

Quem acompanha o blog, sabe que a Segunda Guerra Mundial é assunto de destaque por aqui. Nessa postagem, apresentaremos dez das mais icônicas fotografias da Segunda Guerra Mundial, para que o nosso leitor possa escolher qual a mais significativa do grande conflito.


1 – Menino entre as ruínas de Varsóvia

Menino entre as ruínas de Varsóvia


Em setembro de 1939, a Alemanha, de modo fulminante, invadiu a Polônia; começava a Segunda Guerra Mundial. Varsóvia, a capital polonesa, foi impiedosamente bombardeada pela Luftwaffe. O fotógrafo americano Julien Bryan estava lá, naquele dia, o que lhe permitiu retratar um menino entre as ruínas da cidade. A própria imagem viva da tristeza.


2 – São Paulo incólume

Catedral de São Paulo


A noite de 29 de dezembro de 1940 presenciou mais um dos inúmeros ataques à Londres, com os quais Hitler pretendia subjugar a população inglesa, forçando a rendição da Grã-Bretanha, o que permitiria aos nazistas concentrar-se no Oriente. Após o ataque, o cineasta e fotógrafo Herbert Manson subiu no telhado da redação do Daily Mail e, entre a fumaça, fotografou a Catedral de São Paulo, que parecia intacta, erguida com imponência sobre a destruição. A imagem estampou a capa do jornal e se tornou um símbolo de esperança de resistência contra um inimigo que até então parecia imbatível.


3 – Aleksey Gordeyevich Yeremenko

Aleksey Gordeyevich Yeremenko


Essa fotografia soviética da Segunda Guerra Mundial permaneceu um mistério por 23 anos, até que o homem nela, Aleksey Gordeyevich Yeremenko, foi reconhecido por sua esposa e filhos, quando eles viram a imagem no Pravda. Ela continua a ser uma das fotografias mais emblemáticas da Segunda Guerra Mundial. Yeremenko era um oficial servindo com no 220º regimento da 4ª Divisão de Rifle. Em 12 de julho de 1942, o comandante do regimento caiu durante a batalha. Para incentivar os companheiros a não recuarem, Yeremenko levantou-se e fez o gesto imortalizado na imagem acima. Segundos após essa fotografia ser tirada, Yeremenko foi morto a tiros.


4 – Dor

Dor
A fotografia acima foi tirada pelo fotógrafo soviético Dmitri Baltermant. Ele fotografou muitas batalhas soviéticas, incluindo Stalingrado, sendo ferido duas vezes. Todas as suas fotos eram censuradas pelo Exército Vermelho. Apenas as que se encaixavam na campanha de propaganda de guerra soviética foram publicadas. Embora esta fotografia tenha sido enviada para todas as partes do mundo, durante a Segunda Guerra Mundial, alguns jornais ou revistas não a publicaram,  porque consideravam-na um golpe da propaganda soviética.

A fotografia não era amplamente conhecida até os anos 1960, contudo, agora, é uma das imagens mais famosas de Baltermant. Nela podemos ver o resultado de um massacre de judeus, feito pelo exército alemão em Kerch, em 1942. As mulheres da aldeia procuram os corpos de seus entes queridos jogados na lama e neve. O céu saturado de nuvens negras acrescenta ainda mais drama à foto.

Leia também: A Operação Barbarossa


5 – Ataque a Pearl Harbor

Ataque a Pearl Harbor
Em 7 dezembro de 1941, os japoneses atacaram a base de Pearl Harbor, levando os Estados Unidos a entrar na guerra. A imagem mostra o USS West Virginia em chamas, depois de sofrer vários bombardeios, e um barco ao lado, resgatando um sobrevivente da água.


6 – Hasteando a bandeira em Iwo Jima

Iwo Jima
O fotógrafo Joe Rosenthal imortalizou este momento, que ocorreu em 23 de agosto de 1945, após uma dura batalha em que os japoneses preferiram o martírio à rendição. Ao autor, a fotografia rendeu um Prêmio Pulitzer.

Três dos homens Strank, Sousley e Block, morreram logo após a bandeira ter sido levantada. Strank, o mais velho, foi a primeiro a cair, morto por fogo amigo. Os três sobreviventes, Gagnon, Hayes e Bradley, lidaram com a publicidade que receberam de sua participação na fotografia de maneiras diferentes. Hayes tornou-se alcoólatra e morreu 10 anos depois do fim da guerra, Bradley evitou a publicidade e comprou uma casa funerária, Gagnon supostamente aproveitou a fama, mas rapidamente desapareceu na obscuridade, morrendo de um ataque cardíaco em 1979, enquanto trabalhava como zelador.


7 – Erguendo a bandeira sobre o Reichstag

Bandeira da Vitória
"Erguendo uma bandeira sobre o Reichstag" a famosa fotografia de Yevgeny Khaldei, foi tirada em 2 de maio de 1945 A foto mostra soldados soviéticos que levantam a bandeira da União Soviética no topo do edifício Reichstag após a Batalha de Berlim. O momento era, na verdade, uma reencenação de uma anterior hasteamento da bandeira. A fotografia está envolvida em polêmicas sobre as identidades dos soldados, o fotógrafo e algumas edições significativas.


8 – Vista de Dresden a partir da torre da Câmara Municipal

Dresden em ruínas
Em meados de fevereiro de 1945, quando a guerra estava prestes a terminar, uma série de bombardeios da RAF em Dresden causou cerca de trinta mil mortes e a total devastação em torno do centro da cidade. Pouco depois, o fotógrafo Richard Peter fez um ensaio fotográfico sobre a destruição de Dresden. Em destaque,  a imagem acima. Com grande força poética, a estátua parece olhar para a cidade em ruínas a seus  pés; uma cidade que em outro tempo estava cheia de vida.

Leia também: Os 10 bombardeios mais devastadores da Segunda Guerra Mundial


9 – Cúpula da bomba atômica

Hiroshima
O arquiteto checo Jan Letzel projetou na década de 20, um dos edifícios mais fortes e modernistas da sua carreira. Nesse prédio, foi instalado o museu de uma cidade japonesa. A experiência de Letzel em projetar   edifícios resistentes a abalos sísmicos, o tornava muito requisitado em todo o Oriente. Ele só não podia adivinhar como ficaria o edifício depois da pior catástrofe já causada por mãos humanas.

Em 6 de agosto de 1945 uma bomba nuclear lançada pelos Estados Unidos varreu a cidade de Hiroshima. Apesar de estar bem perto perto do epicentro da explosão, a cúpula do edifício permaneceu de pé, ou pelo menos, parte dela. Atualmente, essas ruínas são chamadas de Memorial da Paz de Hiroshima.



10 – O Dia D

Dia D
Sob o fogo pesado de um metralhador das forças de defesa costeira alemãs, os soldados americanos caminham em direção a terra, depois de saltarem da rampa do navio de desembarque, durante as operações da invasão dos Aliados à Normandia, na França, no dia D, em 6 de junho de 1944.


0 comments:

Post a Comment